Pensamento Biossistêmico

Pensamento biossistêmico responde aos desafios globais pela percepção da vida, potencialização da interconectividade e transformação efetiva da realidade.

Para o exercício de um comportamento adequado ao desenvolvimento de indivíduos, suas organizações e da sociedade é fundamental compreendermos a evolução do pensamento humano, que abrangeu o místico/religioso, o filosófico e o científico, cada qual com seus avanços e lacunas. A contemporaneidade exige percepções e práticas integradoras, centradas na vida. Nossa referência está pautada no pensamento biossistêmico que compreende os enfoques a seguir:

Padrões dimensionais da natureza – Conceito SER

Em seu caminhar evolutivo, a natureza promove diversidade e conectividade entre diversidades, emergindo novas estruturas de organização, novos organismos. Distintas partículas subatômicas se agregam para formar átomos, que se unem em moléculas, que formam macromoléculas, que dão origem as células simples, daí as células complexas, tecidos, órgãos, sistemas, indivíduos, comunidades e conglomerados de comunidades.

Como inteligência subjacente a própria existência, presente em fenômenos observados pelas ciências formais (puras) e factuais (aplicadas), se revela o Conceito SER, três dimensões biossistêmicas interdependentes, fechadas em um ciclo autocriador, presentes na estrutura básica de qualquer sistema vivo: sensibilização ou sentido (direção); educação ou elucidação (compreensão) e realização ou reação (concretização).

Biogramas Humano e Organizacional

Como um símbolo vivo, aplicável a qualquer instante de convivência de um indivíduo de qualquer espécie, o biograma, ilustra a percepção aninhada da realidade, onde desde o interior da sua intimidade, um organismo menos complexo integra outro mais complexo.

Quando aplicado a um indivíduo humano, parte do seu centro consciencial, aos sentimentos, pensamentos, comportamentos, ambiente íntimo (incluiu o meio próximo a cada momento, nós), e ambiente ampliado (aborda os meios distantes, eles e os outros).

Em um empreendimento humano, evidencia o indivíduo inserido numa organização, que integra um mercado, que atua numa sociedade sustentada pelo planeta.

Vetores Estruturantes

Outro fundamento do pensamento biossistêmico são vetores naturais estruturantes, verdadeiras entidades que provocam leituras de mundo e condutas preferenciais, tanto individuais quanto coletivas, e que elucidam as causas de conflitos intra e inter pessoas e suas comunidades. Os partidos políticos com suas ideologias emergem como expressão desses vetores.

Essas entidades, em excesso ou carência, provocam posturas inconscientes e indesejadas, que criam dificuldades para a realização de projetos e trato nos relacionamentos sociais e profissionais. Induzem sabotadores internos.

Devidamente cultivadas e articuladas, promovem a efetividade de iniciativas: projetos de vida, relacionamentos, empreendimentos, mobilizações sociais…

Comunidades de Desenvolvimento

Sempre estiveram presentes na evolução de organizações e sociedades. Geram senso de causa, a visão de onde se quer chegar e a capacidade de articular envolvidos e recursos necessários.

Nas iniciativas acadêmicas promove interações orgânicas que aglutinam atividades complementares presentes em comunidades de sentido, de conhecimento e de prática.

Grandes transformações começam com pequenos grupos…